Registre-se agora
 
X

Uma manhã de quinta-feira bem animada

870 dias atrás por Juliana   Comentários (0)

, , , , , , , , , , , , , , , ,

 

A manhã da última quinta-feira deixou a Moleque de Ideias ainda mais cheia de vida. Algumas das crianças estavam conhecendo a Moleque pela primeira vez, e todos nós que estávamos aqui, inclusive as outras crianças, ficamos felizes em recebê-las.

Pedro e Davi chegaram e logo se interessaram pela caneta 3D. Decidimos realizar essa atividade juntos, e fomos testando e aumentando nossa autonomia com a 3Doodler. Eles quiseram saber como ela funcionava, e descobriram que o plástico colocado no aparelho derretia e depois secava de novo no formato que criávamos. Entenderam facilmente essas questões e foram aprimorando a maneira com que desenhavam, tendo o cuidado de mantê-la em posição quase vertical e na distância certa do papel, para que o plástico pudesse sair com facilidade da ponta mas que também aderisse ao papel utilizado como base. Testaram alguns exemplos de desenhos do site da 3Doodler, como flocos de neve, flores e até uma torre Eiffel. Pedro e Davi estavam bem dispostos a interagir e a se ajudar, revezando a caneta que haviam preferido (apesar de termos duas), e dando ideias um ao outro. Foi um projeto muito agradável.

Depois, ouvindo a música que vinha do estúdio, os meninos foram até lá para investigar. Encontraram Michael usando a bateria eletrônica AeroDrums, que funciona com a combinação entre um software, uma câmera, duas baquetas próprias e um sensor colocado no pé que recebe os comandos para o bumbo. A bateria aparece na tela do computador e o baterista toca no ar, mandando os movimentos para o software e produzindo o som. A AeroDrums chegou recentemente na Moleque, e todos estão encantados com ela. Pedro e Davi também ficaram, e decidiram testá-la.

Depois, voltaram para a sala e exploraram as possibilidades dos computadores. Pedro encontrou rapidamente uma coisa que muito lhe interessa, o jogo Roblox, que João Marcelo, uma criança que vem em outra turma, instalou. Pedro nos mostrou o programa e explicou como era, fez login e nos apresentou o seu próprio perfil, interagindo com as múltiplas possibilidades do jogo. Davi usou o Kid Pix com a caneta digitalizadora para desenhar. Lembrei que dava pra fazer adesivos com as figuras que quisesse e ele gostou da ideia, e decidiu fazer um desenho para imprimir assim. Davi descobriu como colocar o papel especial na impressora e dar o comando de imprimir pelo software do Kid Pix. Ele gostou muito do resultado, disse que ia cortar e colar. 

Depois, Davi viu o kit de robótica modular Cubelets e quis experimentar. Observou que havia informações sobre a função e o nome de cada cubelet na caixa, e guiou-se por ela e por seus experimentos e testes para entender o funcionamento e a maneira de combinar as peças. Logo compreendeu cada um dos tipos, com sensores, atuadores, o cubo de energia e os de programação. A cada nova compreensão sobre os cubelets, Davi aprimorava a montagem de seus robôs, e acabou criando estruturas muito interessantes com sensor de distância, rodas, cubos de rotação, cubos condutores e o de energia. Quando realizava uma nova construção, ele passava para a próxima e buscava maneiras de modificá-la e aumentar suas possibilidades.

Fizemos um vídeo de um dos robôs de Davi se movendo, que pode ser visto clicando neste link.

Os cubelets despertaram o interesse de várias pessoas. Isabela e Pedro, por exemplo, também participaram e deram sugestões.

Aliás, durante o tempo em que esteve aqui a Isabela realizou algumas coisas muito variadas, como desenhar com cola colorida e fazer cortes e colagens com tecido.

Isabela também explorou por um bom tempo as possibilidades do kit de montagem Zometool, e criou uma estrutura que todos pararam para olhar. Tiramos uma foto dela e sua criação.

Depois Isabela interagiu com o kit de montagem Tom Tec, que usa madeirinhas e conectores para fazer as mais diversas construções.

Enquanto isso, chegaram Gabriel, que está desenvolvendo um jogo no Stagecast, e duas amigas suas, a Giovana e a Lara. Elas andaram por toda a Moleque conhecendo as coisas, e depois Gabriel ficou apresentando-lhes os recursos do Stagecast. As duas também quiseram começar a fazer, cada uma o seu jogo, e os três seguiram criando e participando da criação um do outro, com a ajuda do Bernardo, que também se interessa muito por esse software.

Passamos um tempo muito produtivo e alegre, com todo mundo trabalhando junto em vários projetos diferentes.