Registre-se agora
 
X

Evoluindo na horta

1126 dias atrás por Sebastian Bieberle   Comentários (0)

, , , , ,

Quando começamos a construir a horta da Moleque escolhemos o espaço do pátio, na parte de trás da casa, na sombra das árvores. Primeiro porquê os cachepôs já estavam lá e segundo porquê o acesso seria mais interessante para as crianças. A escolha do local foi equivocada, após 3 meses de manejo vimos muitas plantas morrerem por falta de sol enquanto outras ainda estão batalhando. Só o aipo e a couve estão se desenvolvendo bem ali.

Cultivar uma horta urbana requer paciência e perseverança, pois muitas vezes algo não vai dar certo. Já escutei de muitas pessoas que tentaram cultivar algo na varanda de casa que nada vingava e que elas não tinham "jeito" pra planta. São muitas as variáveis que devem ser levadas em consideração: solo, insolação, rega, poda. A verdade é que hortas são espaço de aprendizado constante. Eu mesmo já vi a minha horta morrer pelo menos 3 vezes nos últimos anos. O segredo é observar sempre, muito atentamente. Aqui na Moleque percebemos que não havia sol suficiente, além disso, durante o fim de semana raramente alguém frequenta o espaço, por consequência as plantas não recebem água. Fins de semana prolongados e feriados então...

Assim resolvemos ocupar o nosso telhado verde com plantinhas comestíveis. Lá tem sol o dia inteiro e o sistema de rega automatizado garante água 2x ao dia sempre. Juntamos todos os vasos vazios e estamos testando uma horta e vasos, para quem não tem pátio esta é uma solução que se adapta a qualquer lugar. A Arlete trouxe também alguns bambus para testarmos um plantio sem vasos de plástico, o resultado ficou sensacionais, muito fácil de construir e instalar em qualquer lugar. O resultado você pode ver nas fotos abaixo. A alface está linda e algumas já foram até consumidas hoje no almoço (hummm), tomates estão crescendo, a berinjela está com flor, assim como os pimentões.

Estamos testando também um plantio de batatas em sacos de ráfia, já havia escutado sobre esta técnica mas nunca tive a oportunidade de testar, por isso enchemos uns sacos de terra que estavam vazios e plantamos batata inglesa e batata doce, daqui uns meses veremos o resultado.

Mas nem tudo são flores por aqui. Hoje cheguei e encontrei lagartas comendo a rúcula e uma couve. Mais um probleminha que teremos que controlar. Em nenhum momento matamos as lagartas, somente levamos elas para os fundos da casa, afinal elas fazem parte do sistema. Porém vamos precisar controlar estes pequenos insetos, pois elas se reproduzem num ritmo bem acelerado e comem mais rápido ainda!!! 

Seguimos aprendendo com a natureza.