Registre-se agora
 
X

Minhas Páginas > Ideias na Moleque de ideias > Ideias de programação com Lode Runner

Ideias de programação com Lode Runner

Fase criada por Alexandre Seraphini, 8 anos em 2006. A fase se chama Galinha Louca. Fase criada por Ana Luisa, 10 anos em 2006. A dificuldade está no fato da fase ser jogada no modo noturno, onde o campo de visão do jogador é limitado.

Esta fase feita por Filipe Marchi, 8 anos, em 2006, tem mais a ver com seu apelo visual, estético, do que com o jogo propriamente dito. A fase foi recheada de picaretas, ferramentas com função pre-determinada, mas que aqui ganham um novo significado quando agrupadas como mosaico. Esta fase foi feita em parceria, por Danilo Alfradique, 9 anos e Pedro Cordeiro, 10 anos em 2006. As parcerias são muito comuns no Lode Runner, pois o jogo pode ser jogado por dois jogadores simultaneamente. Geralmente, os jogadores tem que cooperar para superarem os obstáculos e vencer a fase.

 

Criação e programação de fases no jogo Lode Runner

Projetos que favorecem a aprendizagem de: conceitos iniciais de programação de computadores; teste de hipóteses; criação de desafios; raciocínio lógico; conceitos de jogabilidade; conceitos de interface.

Para começar a programar uma boa coisa é usar o construtor de fases do Lode Runner. É um jogo bacana, de raciocínio e as crianças podem vivenciar aspectos relacionados à programação de computadores de modo bastante simplificado, bom para iniciá-las no vasto mundo da programação.

Elas não podem criar nada totalmente novo no Lode Runner, como fazem usando um software de programação mais complexo como o Stagecast, mas podem criar situações novas, desafios diferentes e podem testar as suas soluções a cada instante, para verificar se a fase criada está ficando boa para jogar.

Esta concretização das ideias e das hipóteses é um excelente instrumento de reflexão e é muito bom para o desenvolvimento do raciocínio lógico das crianças. Uma fase impossível, uma escada que não leva a lugar nenhum, uma porta que não pode ser alcançada, ou um jogo sem jogadores, são situações que podem passar despercebidas na construção, mas ficam evidentes na hora do teste, de fazer aquela fase funcionar.

Fazer um jogo requer também pensar no outro, pensar em quem vai interagir com o que está sendo criado. Será que o jogador vai descobrir a solução da fase? Será que a fase esta muito difícil, ou muito fácil? São preocupações que são vivenciadas pelas crianças quando constroem as fases, ou quando jogam as fases feitas por outras crianças.

Há ainda, principalmente nas crianças menores, o uso do construtor de fases do Lode Runner, como um software de desenho, onde o objetivo não é de construir uma fase jogável, mas uma composição visual usando os elementos gráficos disponíveis.

As fases construídas podem ser jogadas por outras crianças, o que incentiva  a circulação de ideias e a noção de que eles podem produzir também seus próprios divertimentos.

Como não existe a possibilidade de jogar o Lode Runner pela Internet, apresentamos a seguir apenas as imagens de fases criadas pelas crianças. Todos os jogos produzidos estão disponíveis na Moleque de ideias.

 

Estas quatro fases são na verdade de duas crianças e constituem um jogo completo. O Lode Runner permite que a criança ligue uma fase na outra, possibilitando a criação de um jogo bem comprido com até cinquenta fases interligadas, cada uma dando acesso à seguinte. As duas fases da esquerda foram programadas por Ulisses Viana, 10 anos em 2006, e fazem parte de um jogo com 16 fases. As da direita foram programadas por Carlos Cataldo, 6 anos em 2006, e fazem parte de um jogo com 6 fases.

Última atualização 3017 dias atrás por Leila País de Miranda